21 99143-1022 (whatsapp)


Rua do Catete, 344/202

Largo do Machado / Flamengo

©2020 por Eliane Oliveira. Orgulhosamente criado com Wix.com

 
Search
  • Eliane Oliveira

A tora da árvore

Updated: Jan 5





















A tora da árvore

Texto da profa. Eliane Oliveira - 11/11/19


Quando dizemos "postura da árvore" estamos dizendo que árvore tem postura. Na relação com mundo de todas as coisas, árvores manifestam uma atitude – que é sua visão de mundo. Os praticantes de yoga, somos bem interessados na visão de mundo das árvores. Para entender qual é a visão de mundo de uma árvore, precisamos saber o que ela pensa, como sente e como age. A melhor maneira de sabê-la é incorporá-la. Funciona assim: evocamos o seu espírito de árvore e emprestamos nosso corpo para lhe dar corpo. O espírito da árvore transpira sobre nós e nosso corpo o dramatiza. Pode também ser o contrário, o que é ainda mais bonito: o espírito da árvore evoca nosso corpo para que ele transpire sobre o seu espírito. Posturando árvore, somos convidados a arborizar nossa humanidade. E porque, afinal, fazemos isso? Fazemos isso porque vemos árvore como mestre. Respeitamos seus saberes ancestrais. Ela é velha. Ela é sábia. Ela é eterna. Ela tem raízes profundas que guardam preciosos ensinamentos. Os praticantes de yoga, somos bem interessados na tora da árvore e em seus preciosos ensinamentos. Para ouvi-la, tornamos nosso corpo um oratório. Um pé no chão, o outro apoiado na coxa, braços esticados para cima, mãos unidas em prece. Reverentes e dela vestidos, rezamos


Mestre, fala-me sobre raízes. O que aprendeste com o profundo da terra? O que aprendeste com o molhado da água? Como foi para tu quando fostes semente? Fala-me sobre o silêncio, sobre o escuro e sobre o broto. O que é o espaço e o tempo? Fala-me sobre o vento. Sobre movimento. Sobre o firmamento. O que aprendeste com o medo? O que aprendeste com o crescimento? Fala-me sobre altura. Sobre estrutura. Estabilidade, flexibilidade, serenidade. Fala-me sobre o folhar e o florir, Sobre o frutar e o cair. Quem sabe eu fazendo do meu corpo o seu corpo possa sorver a nobreza da tua postura diante da vida para que eu, aprendendo contigo, faça nobres as minhas, posturas e vida.



texto da profa. Eliane Oliveira - 11/11/19


7 views